Logo ETFs BrasilLogo ETFs Brasil
Ícone do botão de destaqueSimulador de Portfólios
Estudos

Rebalanceamento do Teva Debêntures DI: Acompanhe o desempenho do mercado de debêntures em dezembro e no ano com o DEBB11

Nosso estudo oferece uma visão completa sobre o mercado de crédito privado brasileiro.

A Teva Indices divulga mensalmente o rebalanceamento do Índice Teva Debêntures DI, que foi a base para a criação do DEBB11, o primeiro ETF de crédito privado do Brasil.

Carteira

No rebalanceamento de janeiro, o Índice Teva Debêntures DI incorporou 8 debêntures, totalizando 239 debêntures de 134 emissores na carteira.

Com duration de 2,59 anos. Esses ativos estão distribuídos em 19 setores distintos, proporcionando uma cobertura abrangente do mercado.

O significativo número de ativos na carteira contribui para a diversificação e reduz exposição ao risco associado ao investimento em debêntures individuais.

Essa abordagem estratégica não apenas fortalece a resistência da carteira diante de flutuações específicas do mercado, mas também oferece aos investidores uma maneira mais equilibrada e prudente de acessar o segmento de debêntures.

Ao distribuir os ativos entre múltiplos emissores e setores, o Índice Teva Debêntures DI se destaca como uma opção que busca otimizar a relação entre risco e retorno entregando o risco da classe de ativos.

Performance

Em 2023, o Índice Teva Debêntures DI teve um desempenho de 12,36%, superando a performance do Idex-CDI e do IDA-DI liquidez.

Spread DEBB11

Em dezembro, a média do spread foi de 0,14%, calculada entre o preço de fechamento e o valor patrimonial, com uma média anual de 0,17%.

Ao oferecer spreads baixos de negociação, o ETF DEBB11 proporciona uma experiência de investimento mais acessível e eficiente sem os desafios comuns associados às negociações no mercado de “balcão”.

Spread de Carrego

Spread de carrego é uma expressão utilizada pelo mercado de crédito para indicar qual seria a taxa (remuneração, rendimento) implícita para um ativo comprado na data e “carregado” até seu vencimento. O conceito é mais simples para um título único, mas também pode ser aplicado para uma carteira.

Como o índice e o DEBB11 têm uma carteira contínua, essa é uma taxa indicativa de qual seria o rendimento se o fundo não aplicasse mais os recursos e levasse todos os títulos até seu vencimento.

Ao finalizar o mês de dezembro, o spread de carrego registrado foi de DI + 2,23%, aproximadamente em linha com o valor pré-evento da Americanas, onde o spread era de 2,10%. Em comparação com novembro, observamos um aumento de 0,04%, demonstrando a resiliência e estabilidade desse indicador ao longo do período.

Avaliação por Setores

Um aumento nos spreads – abertura – está associado a uma queda no preço do ativo e um aumento no retorno esperado. Esse fenômeno reflete diversos aspectos, mas principalmente sinaliza um aumento no prêmio de risco, indicando que os investidores percebem um ambiente mais arriscado.

O setor de Máquinas e Equipamentos mantém a liderança no spread de carrego, registrando 15,4%, o que representa um aumento de 2,75% em comparação com o mês anterior. Em seguida, destacam-se os setores de serviços industriais, com um spread de 3,7%, e bens de consumo e varejo, com 3,6%.

Os menores spreads (menor percepção de risco) estão nos setores de tecnologia financeira, com 1%, seguido por imobiliário e energia elétrica, ambos com 1,4%.

Liquidez e Volume

A liquidez é essencial nos mercados financeiros, influenciando diretamente a facilidade de negociação e a formação de preços. Ativos líquidos, caracterizados por um alto volume de negociação e spreads menores, oferecem aos investidores a capacidade de comprar e vender rapidamente, reduzindo custos de transação e permitindo uma gestão de portfólio mais flexível.

Por isso, o Índice Teva Debêntures DI seleciona apenas debêntures com maiores volumes de negociação, para trazer para o investidor uma carteira com um spread pequeno e ativos com relevância e qualidade.

Para assegurar a qualidade e relevância dos ativos em sua composição, o Índice Teva Debêntures DI seleciona apenas as debêntures mais negociadas. Isso visa proporcionar aos investidores uma carteira com spreads reduzidos e ativos de destaque. A liquidez da carteira é meticulosamente avaliada, considerando o volume e o número de dias negociados.

Em dezembro o valor de negociações médias por dia das debêntures no índice seguiu em queda com um total de R$ 652 milhões.

O volume de emissão média da carteira está em R$ 934 milhões, com um volume de emissão total de R$ 223 bilhões.

Em dezembro, houve recorde do ano em emissões de debêntures indexadas ao DI, totalizando 54 novas emissões, com volume financeiro de R$ 25 bilhões.

Acesse o relatório para obter mais informações sobre:

  • Debêntures de melhor e pior desempenho;
  • Panorama do mercado de crédito;
  • Evolução e tendências dos prêmios de risco (spread);
  • Custo de crédito por setor;
  • Duration e composição setorial.

Você pode visualizar o documento abaixo clicando aqui.

Voltar

Assine a newsletter do ETFs Brasil

Para receber estudos e novidades, deixe seu contato abaixo.