Logo ETFs BrasilLogo ETFs Brasil
Ícone do botão de destaqueSimulador de Portfólios
Ícone de semicírculoAtivos Disponíveis

Conheça todos os ativos disponíveis

BDEF11

Ações
R$ 118,42
 -0,90%
Nome do fundo
B-INDEX MORNINGSTAR SETORES DEFENSIVOS BRASIL FUNDO DE INDICE

O BDEF11 é um ETF de ações brasileiras que replica o desempenho do índice Morningstar Brazil Defensive Equal Weight. O objetivo deste índice é medir o desempenho de uma carteira composta por empresas pertencentes a setores defensivos, ou seja, empresas que tendem a ter resultados mais estáveis e previsíveis, independentemente da situação econômica do país. Para isso, são selecionadas empresas de setores como utilities, saúde e consumo não-cíclico. Este índice é ponderado igualmente, o que significa que cada empresa incluída no índice tem o mesmo peso na composição total do índice.

CNPJ
48.643.220/0001-60
Tipo de ativo
ETF
Gestor
Bradesco Asset Management S.A. DTVM
Administrador
Banco Bradesco S.A.
Índice
Morningstar Brazil Defensive Sectors Equal Weighted
Provedor do índice
Morningstar
Região
Brasil
Lançamento
14/02/2023
Número de cotistas
67
Taxa de administração primária
0,20%
Taxa de administração total
0,20%
Patrimônio líquido
R$ 95.637.847,53

Conheça o BDEF11

O BDEF11 replica o desempenho do índice Morningstar Brazil Defensive Equal Weight. Este índice tem como objetivo medir o desempenho de uma carteira composta por empresas pertencentes a setores defensivos, ou seja, empresas que tendem a ter resultados mais estáveis e previsíveis, independentemente da situação econômica do país.

BDEF11 vale a pena?

Antes de saber se o BDEF11 vale a pena é importante entender as características do fundo e se ele se encaixa com seu perfil de risco e expectativas com os investimentos.

Como o índice é construído?

O Morningstar Brazil Defensive Equal Weight é um índice derivado do Morningstar Global ex-US index, que seleciona 75% das empresas mais liquidas de diversos países. O índice também observa a quantidade de dias negociados (no mínimo 20 dias) nos últimos três meses anteriores ao rebalanceamento e a quantidade de ações em circulação disponíveis no mercado para a composição do portfólio.

Após o recorte das empresas brasileira, é aplicado um processo de redistribuição dos pesos, de modo que todos os ativos que compõem a carteira apresentem o mesmo peso nas dadas de rebalanceamento.

Além disso, aplica-se um filtro setorial, selecionando companhias de setores defensivos, de acordo com as definições do GECS (Morningstar’s Global Equity Classification Structure). Deste modo, são selecionadas companhias dos setores de utilities, saúde e consumo não-cíclico, por exemplo.

Este índice é reconstituído semestralmente em junho e dezembro, com os dados referentes ao fechamento dos meses de abril e outubro, respectivamente. Já o ajuste de pesos acontece trimestralmente, nos meses de março, junho, setembro e dezembro.

Vale a pena investir no BDEF11?

Assim como o BCIC11, este ETF pode ser uma alternativa interessante para investidores que buscam alocações táticas de acordo com a situação econômica do país. Ainda assim, é importante observar alguns pontos sobre a metodologia do índice antes da tomada de decisão.

Primeiro, os componentes do índice são ponderados igualmente, de modo a evitar uma concentração setorial ou em empresas específicas. Isso pode ser bom para investidores que buscam mais diversificação em seus portfólios, mas também pode distorcer a estratégia de investimento alocando em empresas e setores pouco representativos do mercado brasileiro.

Outro ponto importante de levar em consideração no momento do investimento é sobre a periodicidade de rebalanceamento. Conforme a metodologia do índice explica, a carteira é reconstituída semestralmente e leva em consideração os dados de 2 meses anteriores. A princípio isso pode não parecer um problema, mas é importante notar que o portfólio estaria 2 meses “atrasado” em relação às informações mais atuais do mercado.

Conclusão

O BDEF11 é o primeiro ETF que seleciona um grupo de setores defensivos e pode ser um instrumento útil para a construção de posições táticas na bolsa brasileira. Por ser um ETF, também compartilha de todos os benefícios desse tipo de fundo, como baixo custo, diversificação, liquidez e transparência.

Apesar disso, é importante lembrar que os detalhes da metodologia do índice de referência podem prejudicar a rentabilidade no longo prazo e distanciar a estratégia do fundo dos interesses do investidor.

Ícone de semicírculoRetornos Mensais

JanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetOutNovDezAno
2024-4,6%-1,0%-5,6%
Ibov.-4,8%1,3%-3,6%
Dif.0,2%-2,3%-2,0%
2023-2,7%-1,9%2,9%8,8%10,5%1,6%-7,7%-0,8%-6,0%15,0%6,6%26,7%
Ibov.-2,7%-2,9%2,5%3,7%9,0%3,3%-5,1%0,7%-2,9%12,5%5,4%24,4%
Dif.0,0%1,0%0,4%5,1%1,5%-1,7%-2,6%-1,5%-3,1%2,5%1,2%2,2%

O retorno do benchmark é relativo ao período de negociação do ETF de forma a torná-los comparáveis.

Ícone de semicírculoCarteira

Referência: Jan/2024
Ativos % do PLGráfico
SBSP33,40%
ASAI33,29%
ODPV33,15%
CSMG33,12%
CMIG43,05%
MDIA33,04%
EQTL33,04%
ENEV33,03%
RDOR33,03%
TAEE113,01%

Ícone de semicírculoMétricas de Risco/Retorno

Desvio PadrãoÍndice SharpeRetorno
No ano14,50%-3,04-5,57%
12 meses17,28%0,4520,43%
Últimos 3 anos---
Max. Drawdown-14,67%
Data Max. Drawdown30/10/2023
Tempo de recuperação (dias)32

Ícone de semicírculoSpread entre o preço de fechamento e o valor patrimonial da cota

Ícone de semicírculoDrawdown

Ícone de semicírculoEvolução do PL

Ícone de semicírculoNúmero de Cotistas

Ícone de semicírculoComentários

Assine a newsletter do ETFs Brasil

Para receber estudos e novidades, deixe seu contato abaixo.